quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Aula 2 - Imperialismo cultural

Imperialismo Cultural


É o nome dado a um conjunto de políticas que têm por objetivo ampliar a esfera de influência geopolítica de um país sobre outro (ou outros), impondo-lhe(s) a sua cultura.

O imperialismo não pode ser visto apenas como um processo de dominação política e econômica de uma nação mais rica e poderosa sobre uma região ou um país mais pobre.

Há também outra forma de dominação: o imperialismo cultural, ou seja, a imposição de valores, hábitos de consumo e influências culturais que se tornam uma espécie de padrão cultural a ser seguido pelo país dominado.

Muitas vezes, o imperialismo cultural assume a forma de injetar a cultura ou a língua natural de uma nação em outra. Geralmente a primeira é uma grande potência militar ou economicamente poderosa nação.

Imperialismo cultural pode se referir a uma política ativa e formal ou de uma atitude geral. O termo é geralmente usado em um sentido pejorativo, juntamente com uma chamada de rejeição à influência estrangeira.

Os impérios durante toda a história foram estabelecidos usando a guerra e o imperialismo militar. As populações conquistadas tenderam a ser absorvidas pela cultura dominante, ou adquirir seus atributos indiretamente.

O imperialismo cultural é uma forma de influência cultural distinguida de outras pelo uso de força, tal como a militar ou econômica.

A influência cultural é um processo que sempre ocorre entre todas as culturas que têm contato uma com a outra.

Por exemplo, as tradições musicais africanas influenciaram a música afro-americana, que por sua vez influenciou a música popular americana - mas o imperialismo cultural não tem nada a ver com essa transmissão.

Similarmente, a ascensão da popularidade do Yoga (da Índia) em nações ocidentais nunca dependeu em qualquer tipo da força. Do mesmo modo, os povos de estados, nações e culturas mais pobres ou menos poderosos adaptam frequentemente e livremente práticas e artefatos culturais de sociedades mais poderosas e mais ricas sem nenhuma força estar sendo necessariamente aplicada.

Quando os povos adotam livremente as práticas culturais de outros, o uso da frase pejorativa “imperialismo cultural” se torna problemático.

Quando força é ausente da influência cultural, o uso do termo “imperialismo cultural” pode facilmente transformar-se uma tática de debate que envolve radicalismo, o xenofobia e o nacionalismo latentes - as respostas emocionais à influência cultural que é presente em todas as culturas que já tiveram contato com outras em algum período da história.

O imperialismo cultural dos EUA atua sobre o mundo inteiro, mas é melhor observado nos países menos desenvolvidos, como o Brasil. Filmes, alimentos, expressões, termos e roupas são exemplos da influência exercida pelos norte-americanos no país. A indústria cultural traz muitos lucros para os EUA e outros países "produtores de cultura".

Agora, vamos entender, a partir da teoria exposta como a Coca-Cola se estabeleceu no Mundo através da sua comunicação....

(material em PPT em anexo no email da turma)

video

Exercício para casa:
Ache um material publicitário realizado pela Coca-cola, mas ele deve ser bem antigo e interessante. Poste-o e faça um texto de 5 linhas sobre Imperialismo cultural e Coca-cola.

Propaganda Cigarro Malboro


A Philip Morris lançou a marca Marlboro em 1924 como um cigarro para o público feminino, com o o slogan, "Mild As May" (do inglês "Suave como Maio"). Nos anos 20, a publicidade do cigarro ese baseava principalmente em quanto o cigarro era feminino. Para este fim, o filtro teve uma banda vermelha impressa em torno dele para ocultar manchas de batom que foi descrita como "Beauty Tips to Keep the Paper from Your Lips"

Jack Landry, o executivo de publicidade da Philip Morris, coordenadamente com a agência de Leo Burnet apareceram com "comerciais que vão trazer fumantes novatos para o Marlboro...[que transmitisse] "a imagem certa para capturar a fantasia da juventude...[e projeta] um símbolo perfeito de independência e rebeldia individualista" - e assim surgia o "cowboy da Marlboro" ou Marlboro Man. Logo a marca se tornou um sucesso de venda duradouro, a nova imagem elevou suas vendas de $5 bilhões em 1955 para $20 bilhões em 1957, em 1972 se tornou a principal marca de cigarros norte-americana e do mundo.


Essa propaganda me chamou a atenção porque 3 das 5 pessoas que eu falei lembraram dela, a marca lançada em 1924, mais sua época de mais sucesso foi nos anos 70. Marta de 47 anos, explicou com mais clareza que, apesar de nunca concordar com os comerciais de cigarro, os da marca Malboro sempre chamaram muita Atenção por causa daquelas paisagens, os cavalos, e é claro o Malboro Man. Era uma propaganda que causava uma emoção nela, ela gostava de ver as propagandas do cigarro.

O Slogan da marca era: Venha para onde está o sabor!

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Coca Cola Anos 60

Este comecial foi recordado pelo meu vozão que sempre comprava uma Coca Cola família, na decada de 60 .

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Não esqueça a minha Caloi ( 1978 )


O slogan acima foi criado em 1978 e adotado em muitas campanhas publicitárias, inclusive na
televisão. Tornou-se uma verdadeira febre entre as crianças:

Entrevistado: Domingos Alves ( 74 anos )

Meu avô me contou que essa propaganda da Caloi marcou muito na vida dele, pois minha mãe e meus tios queriam muito uma bicicleta e quando lançou essa propaganda virou uma febre mais ele não tinha condições de presenteá los !

Aluna: Emily Alves


quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Comercial Guaraná Antarctica ( 1991 ) Pipoca e pizza com guaraná

Guaraná Antarctica - O refrigerante Guaraná Antarctica é uma marca pertencente à AmBev que foi lançada no Brasil em maio de 1921, pela então Companhia Antarctica Paulista, com o nome de Guaraná Champagne Antarctica, passando a ser a primeira marca a comercializar este tipo de refrigerante. Com o sucesso e popularidade da bebida a Coca-Cola acabou lançando uma marca também com sabor de guaraná. Atualmente, encontra-se entre as quinze marcas de refrigerantes mais vendidas no mundo.



Shampoo Colorama

video


  Delma comentou que esse shampoo era uns dos mais famosos da época de 70. E  quando ela usava esse shampoo  pensava que o efeito do cabelo da moça na propaganda sairia o mesmo no cabelo dela e ate que o efeito surgiu dizendo ela.

Nome; Delma: 51 anos

Nome da propaganda

Shampoo Colorama

Ano:1970

É uma raridade, uma relíquia este clássico da propaganda brasileira dos anos 70. O xampu Colorama foi um sucesso de público e de vendas.

Comercial Do Bril - Da Bom-Bril

NOME: SELITO GOMES MACEDO
IDADE: 51 ANOS
PROPAGANDA: BRIL (DA BOMBRIL)
ANO - 1978

SELITO COMENTA QUE COSTUMAVA VER O COMERCIAL PORQUE O QUE MAS CHAMAVA ATENÇÃO ERA O JEITO DO PERSONAGEM MEIO QUE CÔMICO E SINCERO, E TODA SEMANA ERA UM COMERCIAL DIFERENTE E PASSAVA SEMPRE DEPOIS DO JORNAL. E SEMPRE ACOMPANHOU O PERSONAGEM ATÉ A SAÍDA DELE DOS COMERCIAL DA BOMBRIL.

ALUNO: ADRIEL NOBRE

Grapette

 Grapette, foi um refrigerante com sabor uva que conseguiu um sucesso nos anos 60. Seu jingle com um jogo de palavras eficiente popularizou e é lembrado até hoje. Muitos dizem ter gosto de infância.

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Comercial de lançamento Volkswagen Brasilia 1973

 

O sonho de consumo do meu pai e anos depois seu primeiro carro. Com praticamente a mesma mecânica herdada do WV Fusca, era um carro que dificilmente nos deixava na mão por conta da simplicidade e robustez  do motor, meu próprio pai conseguia fazer os reparos. Os fatos que nos marcaram foram as primeiras viagens, um princípio de incêndio e o barulho interno causado pelo o motor, que fica na parte traseira e somente uma tampa o separa do interior do veiculo.

Primeira propaganda do Fusca com o motor 1300, diretamente de 1967. Foi o carro mais vendido no mundo, ultrapassando em 1972 o recorde que pertencia até então ao Ford Modelo T. O último modelo do VW Sedan foi produzido no México m 2003.



  Quem não conhece essa famosa marca que atire a primeira pedra hahah.

  Em uma longa conversa sobre o passado com minha mãe, ela relembrou de várias propagandas da marca "BOMBRIL" com Carlos Moreno. Para quem não sabe, a BOMBRIL é responsável pelo mais famoso garoto propaganda da publicidade brasileira. É difícil encontrar alguém que não conheça o Garoto Bombril. Quem não se lembra daquele carinha de óculos, carequinha, divulgando os produtos da marca? acho que todo mundo se lembra né. Então, vamos fazer um rápido resumo sobre as várias propagandas. 

- Sua primeira aparição como garoto propaganda foi em 1978...




- E seu último comercial como garoto propaganda foi em 2013 ao lado de Mônica Iozzi e Dani Calabreza...


Carlos Moreno atuou oficialmente como garoto propaganda da marca em meados de 1978 há 2013, entre idas e vindas de contratos. Acredite se quiser, mas Carlos acumulou no total 344 comerciais pela marca, em meio a esse período. 


Após este breve resumo, muitos devem estar se perguntando porque minha matéria teve como foco principal os comerciais em geral sobre o garoto propaganda e não sobre um comercial especifico. 
Então, quando minha mãe citou sobre os vários comercias da marca com o ator, me refletiu que também marcou minha vida, ou melhor, minha infância. E não existe nada mais interessante do que falar sobre propagandas que marcaram duas gerações (de mãe e filha). 
Pra mim isso é um diferencial ao criar minha primeira matéria, espero que gostem e até a próxima. 

COTONETES JOHNSON & JOHNSON (OFICIAL)

minha mãe contou que guando ela e meus tius eram criança, eles não gostavam de limpar os ouvidos então minha avó esperava passar esse comercial para obriga-los com mais facilidade, e sempre funcionava porque eles amavam ver o bonequinho dançando.
comercial de cotonetes dos anos 80.    
Essa é uma lembrança da minha avó, 64 anos, de quando era mais nova. Mostra a propaganda de um dos sorvetes mais gostosos da época, que existe até hoje, o Cornetto.
No início da década de 1980 foi lançada uma campanha publicitária que marcaria uma geração inteira de adoradores de sorvete no Brasil. A história de um simpático personagem, que na romântica Veneza, roubava sorvete de uma bela moça, estampou a marca ''Cornetto'' na memória de milhões de brasileiros.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

CRUSH
No Brasil é mais conhecida em seu sabor laranja, no qual foi originalmente concebido por Clayton J. Powel nos Estados Unidos, em 1916 (Ward's Orange Crush), embora aqui já tenha sido vendido também com seu sabor uva. Quando fabricado no Brasil, o que não ocorre mais, o foi por indústrias de refrigerantes como a Golé e a Pakera então franqueadas pela multinacional Cadbury Schweppes, atual detentora da marca na maior parte do mundo. No Brasil, foi vendido para Pakera, para a Coca-Cola que depois o retirou do mercado.
Atualmente, a marca está presente no seu país de origem: EUA, no Canadá, e em outros países da América Latina.
Outros sabores disponíveis ou disponibilizados no mundo foram chocolate, morango e abacaxi.
video
Nome:Darcio Alberto

 1987, este ano foi muito importante para mim.Tanto por experiencias que tive.
 O momento que me faz até sentir água na boca é desta propaganda.
 Ela bem geladinha uhummmmm que delicia, me lembro que ao chegar da escola
ia direto para geladeira, ligava a TV e tomava uma Crush. O tempo que não volta
mais, rever este anuncio me faz relembrar aqueles momentos que foram especiais!!!

Jingle clássico da década de 70 que convencia as pessoas a comprarem lâs e cobertores das Casas Pernambucanas. Essa propaganda marcou a juventude de boa parte da família por parte de minha mãe por trazer sensação de aconchego e segurança, alem dos preços baratinhos da época



Valdas Tablets

Valdas Tablets 

Um 'jingle chiclete' para promover o famoso tablete de menta, veiculada no final dos anos 70.Propaganda que marcou a infâncias dos meus tios e primos.Meus tios me contaram que era um “remédio” contra dor de garganta, que certamente era so para seus pais comprarem pelo tão gostoso chiclete de menta.



  • Ano: 1978
  • Produtora: Esquire Propaganda.
  • Composição: Julio Hungria e cantado por Lucinha Lins.
  • Produção edireção: André José Adler





                         
                                                  Refrigerante Mirinda
     O puro sabor de laranja em forma de refrigerante. Mirinda fez sua presença no mercado brasileiro até 1997, onde foi substituído plenamente pela Sukita (que já existia), que também é produzida e engarrafada pela Ambev.
     Apresentamos uma propaganda de 1994, como o Blue Man Group na cor laranja, em referência ao refrigerante.




Nome: Ana Maria Silva Cardoso
Essa propaganda marcou a adolescência da jovem. Na época ela fazia faculdade, e sempre viu a propaganda de refrigerantes em sua casa na TV, era difícil pra ela ver todos os colegas tomando o refrigerante, e ela não poder comprar, pos se  comprasse não teria dinheiro  para voltar pra casa. tempos depois, Ana Maria já havia se formado, virou uma belíssima Advogada, e desde então ela já podia compra o "tal" do refrigerante que tanto lhe dava água na boca,  a jovem não se contentava e tomava a bebida descontroladamente. que, hoje ela não quer mas nem ver refrigerante de laranja em sua frente. E foi por isso que essa propaganda de refrigerante marcou-á.

Alunas: Joiciane Silva e Ana Paula de Jesus

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Sejam bem-vindos ao blog História da Publicidade e Propaganda da FASAM

Este blog tem uma função didática muito clara: aprendermos tudo sobre a história da Publicidade e da Propaganda no Mundo e no Brasil.

Assim, conto com o empenho de vocês para, juntos, escrevermos mais um pouquinho dessa história e descobrirmos muitas coisas bacanas a respeito da sua futura profissão.

Então, para esquentarmos os motores envio a todos um desafio de pesquisa:


1- Converse com seus pais, ou a uma pessoa com mais de 50 anos e busque uma recordação interessante (anuncio impresso ou eletrônico antigo).
2- Depois, procure na net, poste no blog e mostre a ele. Anote nos comentários o que eles falaram sobre essa campanha e leve para discutirmos em sala de aula, ok

Bom, eu vou começar colocando uma campanha muito simbólica: Cobertores Paraíba



Comercial muito popular, cujo jingle marcou a infância de muitos como o lembrete da hora de dormir. Passava sempre depois do jornal Nacional. Ainda não era nascida, mas minha tia conta que odiava a campanha, pois quando passava o comercial, meu avô mandava todo mundo pra cama.
Ano: 1961.
Produtora: Lynxfilm.
Composição da trilha: Maestro Erlon Chaves

Ms. Patricia Quitero Rosenzweig